segunda-feira, 29 de março de 2010

Empobrecer o espírito para enriquecer o bolso

Por Carlos Pompe*

Os meios de expressão da sensibilidade humana estão assaltados por temas místicos, religiosos e pelo irracionalismo. Para garantir a continuidade de seu domínio, a burguesia precisa revitalizar as crendices, fazer aumentar a procura pelo misticismo, incultar ou revitalizar a influência da religião no seio do povo. Ao mesmo tempo, aproveita a empreitada para aumentar sues lucros.

Recente artigo de Gabriel Priolli, “Assombrosa escalada dos espíritos”, aborda o novo ataque místico perpetrado através de novelas e filmes brasileiros contra a população. Cita a próxima produção da Globo, “Escrito nas Estrelas”; a que vem sendo repetida pela mesma emissora, “Alma Gêmea"; o filme, também produção globaliana, sobre Chico Xavier – aproveitando o centenário do nascimento do mineiro. Refere-se ainda ao filme “Bezerra de Menezes – O Diário de Um Espírito”, que conta a vida do cearense que, no final do século XIX, divulgou as crenças de Allan Kardec no Brasil. Priolli informa que um canal por assinatura vai exibir uma série sobre “mestres espíritas”. Essas obras não são uma abordagem analítica das trajetórias dos biografados, mas produção apologética dos seus ideários.

Os aparelhos de TV brasileiros também podem sintonizar emissoras dedicadas à divulgação de seitas, oferecendo curas e milagres. “Seja como for, entre espíritas, católicos e crentes, a religião se propaga por imagens e busca converter corações aflitos em fiéis telespectadores, contribuindo para a permanência do pensamento mágico tão arraigado na consciência popular e obstruindo o avanço da razão. Na contramão desse processo intenso de doutrinação midiática, não se verifica no Brasil ainda nenhum canal de TV ou web integralmente voltado à ciência e ao culto da racionalidade. Mesmo nas emissoras educativas, ainda é modesto o tempo dedicado aos conteúdos científicos e a produção nacional na área praticamente inexiste. Darwin perde de longe a batalha para Deus, na explicação sobre origem e destino de todas as coisas”, argumenta o articulista.

Ele considera que a mídia religiosa “não facilita a afirmação do pensamento crítico, questionador, investigativo, que forja a verdadeira consciência de si e do mundo, e fundamenta os direitos de cidadania. Elevar preces ao céu e cultivar fantasmas é direito democrático e constitucional, mas não constitui uma democracia mais forte. Até prova em contrário, é a ação solidária entre os homens, sem auxílio divino e neste mundo mesmo, que pode lográ-la”.

Priolli poupou seus leitores do registro da megaofensiva que também o cinema, a literatura, a música e as artes plásticas internacionais realizam na propagação da religiosidade, do misticismo e do irracionalismo. Emissoras de rádio e gravadoras se especializam em músicas de cunho sacro, produção que é transmitida também nas rádios não especializadas. Mesmo frequências destinadas somente a notícias embutem em sua programação “alternativas de vida” sempre embaladas no misticismo e inclusive avessas à ciência. As livrarias e telas de cinema de TV estão infestadas de vampiros. Mesmo ali, de onde o incauto menos espera, salta um espírito, um evento sobrenatural – no planeta Pandora, do filme “Avatar”, os ETs têm seus mantras siberianos e a “mãe-natureza” transpõe a alma de um humano para um Na'vi...

O irracionalismo é uma das tendências importantes da filosofia burguesa. Levado ao extremo, cria a atmosfera espiritual de uma fé cega que possibilita pastorear o rebanho de crentes pelas sendas mais obscuras e levá-los a cometer barbaridades inomináveis. Aliás, Lênin, no “Esquerdismo, doença infantil do comunismo”, já alertava que o idealismo filosófico e o misticismo servem “como disfarce de um estado de espírito contrarrevolucionário”.

Fraternos aos demais donos do capital, os que detêm o monopólio da mídia semeiam a desrazão e colhem a continuidade de seus domínios e de sua dominação. Garantem, a um tempo, o retorno lucrativo do capital investido e a mansidão da plebe explorada e ignara. Seguem o conselho dado por Mefistófeles, o diabólico personagem do “Fausto”, de Goethe:

Larga do ser humano a razão e a ciência,
São as forças mais altas que lhe dão potência!
Espíritos sutis te enleiam e te dominam
A um mundo de ilusões e cegueira te inclinam...

 Leia o artigo de Gabriel Priolli clicando no link
http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos.asp?cod=582FDS012

* Jornalista e curioso do mundo



domingo, 28 de março de 2010

Edvaldo Nascimento em defesa da democracia e justiça social

 
Edvaldo Nascimento, vereador em Delmiro Gouveia, esteve reunido com sem-terras do acampamento Alto da Boa Vista na tarde desta quinta-feira, 25/03. No dia 11/03, manifestação na cidade, contra a extinção da gestão democrática nas escolas municipais, criada por lei de iniciativa do vereador do PCdoB.

No encontro com sem-terras do acampamento Alto da Boa Vista, Edvaldo ouviu as reivindicações do grupo, que disse estar sem qualquer apoio no local onde estão acampados, às margens da estrada que liga Delmiro Gouveia ao município de Paulo Afonso, Bahia.

Na discussão, elencaram suas prioridades. O líder Arnon citou que entre as principais solicitações estão a regularização da terra, a entrega de cestas básicas, projeto de construção de casas junto ao INCRA e instalação de energia e água.

Edvaldo entrou em contato com a Superintendência do INCRA em Alagoas, para agendar uma reunião com a comunidade, que ficou previamente marcada para o dia 15 de abril. Ao final do encontro o líder agradeceu a presença e o apoio do vereador. Edvaldo declarou que estará sempre ao lado dos trabalhadores rurais na luta pela reforma agrária, na luta pela terra.

Edvaldo denuncia: prefeito de Delmiro extingue gestão democrática nas escolas

O Prefeito Luis Carlos Costa (Lula Cabeleira) tomou a iniciativa de extinguir a gestão democrática nas escolas municipais de Delmiro Gouveia, por meio da qual os diretores e vice-diretores da rede municipal de ensino eram escolhidos diretamente pela comunidade escolar.

O vereador e professor Edvaldo Nascimento declarou ser um descaso à cidadania do delmirense. “Fui o criador da lei que instituiu a gestão democrática na rede municipal no ano de 2006. Acho que o que está sendo feito é um retrocesso na cidadania, por isso estou denunciando à imprensa o que o prefeito está fazendo hoje em Delmiro Gouveia”, disse Edvaldo, acrescentando que a gestão democrática foi uma conquista da comunidade. “Quando a lei foi criada foi com base no desejo da comunidade. A gestão democrática é uma conquista da mesma”.

Na sessão da Câmara de Vereadores realizada no dia 11 de março, profissionais da educação estiveram presentes manifestando-se contra a medida. Na ocasião o presidente do Movimento Estudantil Delmirense (MED), Lucas, declarou seu posicionamento sobre a extinção da gestão democrática. “A derrubada da gestão democrática da rede municipal de ensino será um retrocesso e nós somos contra. Para conseguirmos implantá-la foi uma luta árdua”, frisou o estudante.

Estudantes saíram às ruas da cidade de Delmiro Gouveia, contra a extinção da gestão democrática na educação municipal, em defesa da democracia. Essa luta tem sido um dos pontos principais no mandato do vereador comunista, vinculado à área da educação, professor e destacado batalhador pela cultura e ensino delmirenses.

De Maceió, Selma Villela.

Eduardo Bomfim confirma candidatura com desincompatibilização

Repercute no meio político e na imprensa a desincompatibilização do presidente da Fundação Municipal de Ação Cultural de Maceió, Eduardo Bomfim, pré-candidato ao Senado pela frente de partidos de sustentação do governo Lula.
Eduardo Bomfim apresentou ao prefeito Cícero Almeida o pedido de afastamento do comando da Fundação Municipal de Ação Cultural de Maceió, na última sexta-feira, 26/03.

Numa reunião que durou aproximadamente uma hora e quinze minutos, Cícero Almeida recebeu o secretário de cultura do município para uma pauta exclusivamente política. Bomfim confirmou oficialmente para o prefeito a intenção manifestada anteriormente, de afastar-se do comando da Fundação Cultural para assumir a tarefa de ser candidato ao Senado. O prefeito reafirmou que entendia e achava importante a decisão de Bomfim.

Com sua desincompatibilização, Eduardo Bomfim confirma sua pré-candidatura ao Senado, na frente de partidos que terá como candidato ao governo do Estado o ex-governador Ronaldo Lessa. O que vem sendo chamado pela imprensa de chapão, enfrentará o candidato à reeleição, o atual governador do PSDB, Téo Vilela, e garantirá o palanque em Alagoas para a candidata à reeleição do presidente Lula, a ministra Dilma Roussef.

As duas candidaturas ao Senado na chapa de Ronaldo Lessa ainda não estão definidas, tendo sido apresentados como pré-candidatos o senador Renan Calheiros, o presidente estadual do PCdoB, Eduardo Bomfim, o deputado federal, presidente estadual do PP, Benedito de Lira e o delegado federal Pinto de Luna, pelo PT.

Eduardo Bomfim declarou que considera todas as candidaturas legítimas. Ao concretizar seu pedido de exoneração da presidência da Fundação Municipal de Cultura de Maceió, antes do prazo final exigido pela legislação eleitoral, apresentou um sinal claro para todas as forças que compõem a frente, de que tem firme propósito de concretizar sua candidatura.

Eduardo Bomfim afirmou estar preparado para a batalha eleitoral, que se revestirá de importância especial neste pleito, quando se definirão os rumos para a nação, assim como para Alagoas. “O povo escolherá entre o projeto fracassado, inclusive internacionalmente, com a grave crise que assolou o mundo, do neoliberalismo, do estado mínimo, capitaneado no Brasil pelo PSDB, ou dar continuidade e aprofundar o projeto nacional-desenvolvimentista que vem sendo levado a cabo pelo governo Lula, com o apoio dos partidos que vem compondo essa nossa frente aqui em Alagoas”, acrescentou.

Concluiu afirmando que sua candidatura tem esse caráter, lutar ao lado de Ronaldo Lessa e das demais lideranças do estado, pela vitória tanto nacional como estadualmente, desse projeto de desenvolvimento, soberania e justiça social.

Ao se divulgar a notícia da desincompatibilização do secretário municipal de Cultura de Maceió, grande foi a repercussão no mundo político em Alagoas.

De Maceió, Selma Villela.
sábado, 27 de março de 2010

Marcelo Malta assume o mandato na Câmara de Maceió

Com a decisão do juiz Helder Loureiro, da Terceira Zona Eleitoral, publicada hoje, 26/03, foi cassado o vereador Dino Júnior e assume o mandato na Câmara Municipal de Maceió o vice-presidente estadual do PCdoB, Marcelo Malta.
Na entrevista à Rádio Gazeta AM, o juiz Helder Loureiro afirmou estar inteiramente convencido da prática ilícita do cassado. “O demandado chegou à Câmara conduzido pela compra de votos e não pelos braços do povo”, declarou.


Com a decisão da Justiça Eleitoral, assume o vice-presidente estadual do PCdoB, Marcelo Malta, retomando sua cadeira na Câmara de Maceió. Este será o segundo mandato de Marcelo Malta como vereador de Maceió. Ele havia exercido seu mandato na legislatura anterior, de 2005 a 2008.


Marcelo Malta declarou que retomará a sua atividade parlamentar dentro da perspectiva de um mandato verdadeiramente comunista.


De Maceió, Selma Villela.
sexta-feira, 26 de março de 2010

A quem interessa uma UNE porra-louca?

Luciano Siqueira *

Vejam essa manchete do Jornal do Commercio (do Recife): ‘O “protesto chapa-branca” da UNE’. Em boa técnica jornalística, “protesto” e “chapa-branca” aí estão como convite ao leitor, pelo contraditório, a formar antecipadamente um juízo de valor depreciativo sobre a União Nacional dos Estudantes e o evento ocorrido na tarde da última terça-feira na capital pernambucana.

Na verdade, a passeata de cerca de dois mil estudantes, sob a liderança da UNE e também da UEP (União dos Estudantes de Pernambuco), UBES e UMES (União Metropolitana de Estudantes Secundaristas) teve motivos nobres: a reivindicação de que 50% dos recursos advindos da exploração do petróleo e do gás da camada do pré-sal sejam destinados à educação pública universal e de qualidade; e a exaltação de uma grande conquista recém-obtida, a gratuidade do ensino na Universidade de Pernambuco (UPE), ato do governador Eduardo Campos.

A luta pela gratuidade na universidade estadual vem de longe, daí as homenagens prestadas, ao final da passeata, ao próprio governador e aos secretários de Estado Luciana Santos e Humberto Costa que, quando deputados, pelejaram por esse objetivo ao lado dos estudantes. Aliás, Humberto, Luciana e Eduardo também defendem a posição do movimento estudantil quanto ao uso dos recursos do pré-sal.

Nessas circunstâncias, pergunto: protestar contra o quê? Claro que não se trata de protesto, mas de uma luta que os estudantes travam em todo o país e da comemoração por uma vitória importante em âmbito local. Demais, mostra-se totalmente equivocada a assertiva – implícita na manchete e no corpo da matéria publicada pelo jornal pernambucano – de que ao movimento estudantil cabe tão somente protestar, sempre.

Ora, o país progride, muitos anseios populares têm sido alcançados sobretudo após a assunção de Lula à presidência da República. Os diversos segmentos do movimento social, o movimento estudantil entre eles, não deixam de reivindicar, pressionar, criticar e protestar quando assim consideram oportuno – como têm feito inúmeras vezes. Porém, por outro lado, exaltam suas próprias conquistas e não se eximem de reconhecer atitudes e decisões corretas de governantes aliados.

Ao contrário de se por o rótulo “chapa-branca”, importa reconhecer nessa conduta uma postura amadurecida, equilibrada e consequente. Do contrário caberia, aí sim, a pecha de “porra-louca” a um movimento que só soubesse dizer não, reclamar e atacar, sem jamais construir. O que certamente não corresponderia aos interesses fundamentais dos estudantes e do povo brasileiro.

* Médico, vereador em Recife, membro do Comitê Central do PCdoB

segunda-feira, 22 de março de 2010

No Dia Mundial da Água, 1,2 bilhão de pessoas tem sede

Em 22 de março de 1992, as Nações Unidas divulgaram a “Declaração Universal dos Direitos da Água”, com o objetivo de despertar o interesse e maior consciência das populações e de seus governantes, sobretudo quanto à importância da água para a sobrevivência humana.

No ano seguinte, na mesma data, a Assembleia-Geral da ONU declarou o 22 de março como o Dia Mundial da Água. De acordo com as estatísticas atuais, o planeta deverá alcançar o Objetivo do Milênio de reduzir pela metade o número de pessoas sem acesso à água potável.

A cinco anos do prazo para a meta, que vence em 2015, 87% da população mundial dispõe de fontes de abastecimento de água potável, de acordo com o relatório divulgado na última semana pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

Apesar do avanço em relação ao acesso à água potável, os números sobre o saneamento básico ainda são ruins. Mais de 2,6 bilhões de pessoas – 39% da população mundial – continuam sem esse serviço.

De acordo com o documento, o problema ainda mata anualmente 1,5 milhão de crianças de até 5 anos. As crianças e mulheres, segundo a OMS/Unicef, são as mais atingidas pelas dificuldades no acesso à água e na falta de saneamento básico”.

Água contaminada mata

O relatório da ONU afirma que 3,7% das mortes no planeta são causadas por água contaminada, enquanto mais da metade dos leitos dos hospitais são ocupados por pessoas que sofrem com doenças relacionadas à água contaminada.

A ONU enfatiza a necessidade de melhorar o fornecimento de água potável e lembra que aproximadamente 2 bilhões de toneladas de resíduos são despejados diariamente em rios e oceanos, ajudando a proliferação de doenças.

"Se não formos capazes de gerenciar nosso lixo, isso vai significar mais pessoas morrendo de doenças relacionadas à água", disse Achim Steiner, subsecretário-geral e diretor-executivo do programa de meio ambiente da ONU.

O relatório diz que são necessários três litros de água para produzir um litro de água potável e que a água potável nos Estados Unidos requer o consumo de cerca de 17 milhões de barris de petróleo diariamente.

Outros dados mostram que a melhora do gerenciamento da água de reúso na Europa resultou em significativas melhoras ambientais no continente, mas adverte que a quantidade de zonas mortas nos oceanos continuam a se espalhar por todo o mundo. Zonas mortes são áreas sem oxigênio, fenômeno causado pela poluição.

"Se o planeta de 6 bilhões de pessoas deve chegar a 9 bilhões até 2050, precisamos ser mais inteligentes coletivamente sobre como gerenciamos nosso lixo, incluindo resíduos líquidos", disse Steiner.

Além da questão humana, o relatório fala sobre as perdas econômicas decorrentes, lembrando que a falta de água e de instalações sanitárias, apenas na África, são estimadas em US$ 28,4 bilhões, ou cerca de 5% de seu Produto Interno Bruto (PIB).

Direito humano universal

Evo Morales, presidente da Bolívia, pediu nesta segunda-feira à ONU que aprove resolução declarando o acesso à água e ao saneamento básico um "direito humano universal".

Morales leu, durante uma declaração à imprensa, um projeto de resolução que será entregue pela embaixada boliviana ante as Nações Unidas, em Nova York, concidindo com a celebração nesta segunda-feira do "Dia Internacional da Água".

A proposta da resolução diz: "a ONU declara o acesso à água potável e ao saneamento básico como um direito humano universal a fim de que tanto os estados como o sistema das Nações Unidas promovam o respeito a este direito e assegure através de medidas progressivas de caráter nacional e internacional seu reconhecimento e aplicação universais e efetivos".

Na África, 155 milhões sem água

Mais de 155 milhões de pessoas, ou 39% da população da África ocidental e central, não têm acesso a água potável, informou a Unicef, a agência da ONU para a infância, nesta segunda-feira.

Essa região tem a menor cobertura de água potável do mundo, abrigando 18% da população mundial que não tem acesso a água potável.

"Faltando cinco anos para 2015, prazo estabelecido para as Metas de Desenvolvimento do Milênio (MDG), a água e a situação sanitária na África Ocidental e Central continuam sendo uma preocupação", afirma o comunicado da Unicef.

De acordo com a organização, apenas oito dos 24 países da região estão prestes a atingir os objetivos no que se refere ao fornecimento de água: Benin, Burkina Faso, Camarões, Cabo Verde, Gabão, Gana, Guiné e Mali.

No Brasil, cerca de 17 milhões de pessoas ainda não tem acesso seguro à água potável, de acordo com dados divulgados pela Agência Nacional de Águas (ANA).

"A questão da quantidade tem sido mais bem enfrentada. Mesmo no Semiárido, hoje os problemas estão sendo resolvidos, com grandes canais, grandes açudes. No Sul e Sudeste, a questão da qualidade sempre apareceu como o grande problema e no Nordeste começa a preocupar", disse Paulo Varella, diretor da ANA à Agência Brasil.

Segundo levantamento realizado em mais de 2 mil pontos de monitoramento em 17 unidades da Federação, apenas 9% dos pontos foram considerados ótimos. Cerca de 70% têm Índice de Qualidade da Água (IQA) considerado bom; 14%, razoável; 5%, ruim; e 2%, péssimo.

Águas subterrâneas são mais viáveis

Embora a maior parte da superfície da Terra seja coberta por água, 97,5% dela é salgada e encontra-se nos mares e oceanos; 1,7% está sob a forma sólida em geleiras e calotas polares deixando apenas 0,8% disponível para o consumo humano.

Desse total de água potável no mundo, cerca de 4% estão sobre a superfície, em lagos, rios ou, ainda, na forma de vapor. Os outros 96% estão debaixo dos nossos pés, nas águas subterrâneas.

De acordo com o pesquisador Milton Matta, elas seriam a fonte ideal de água para o abastecimento urbano em Belém. E é justamente a qualidade da água que será o tema do Dia Mundial da Água, celebrado nesta segunda-feira, dia 22 de março.

O professor da Faculdade de Geologia do Instituto de Geociências da Universidade Federal do Pará, Milton Matta, afirma as águas subterrâneas são uma das fontes ideais de abastecimento urbano.

“Além de estar em maior quantidade, essa água é mais pura, está melhor protegida de agentes contaminantes, sofre menos evaporação, apresenta melhor qualidade físico-química e bacteriológica e é mais barata para o consumo", considera.

Para Matta, as águas subterrâneas seriam a melhor fonte de abastecimento para a cidade onde mora, Belém, capital paraense. "Isso porque sua exploração se orienta para a implantação de pequenas redes de distribuição, portanto, mais econômicas, fáceis de construir e de manter. É ideal para o abastecimento de Belém”, argumenta.

fonte: www.vermelho.org.br
sábado, 20 de março de 2010

Maquiando a Educação: a máfia dos cursinhos

Meu artigo publicado no portal da UNE e da UBES:


Por Lindinaldo Freitas de Alencar

Quem anda pelas principais ruas de Maceió já deve ter se espantado e até acostumado com anúncios espalhados em cartazes, faixas, e outdoors de cursinhos dizendo: “Conclua seu 2° Grau em três meses”. Outros ainda mais atraentes, prometem a conclusão em dois e até um mês, estão sempre acompanhados da frase: “autorizado pelo MEC”. Bom, parece ser bem melhor passar três ou até um mês estudando ao invés de três anos para concluir o ensino médio. Mas como isso funciona? Terão realmente esses cursos rápidos condições de cumprir os objetivos do ensino médio? Será essa a verdadeira preocupação desses cursos?

Na realidade, esses cursos não passam de “preparatórios” para as provas de Supletivo. Para quem entra nesses cursos parece simples, a pessoa se inscreve, paga uma mensalidade, tem aulas durante três meses no máximo e faz uma prova em outro estado. Depois é só receber o certificado de conclusão. O que os cursos fazem é inscrever seus “clientes” em Supletivos em outro estado, durante os três meses “ensinam” de forma extremamente mecanicista o que é necessário para passar na prova. A preocupação não está em o estudante aprender determinados assuntos, mas em que ele consiga responder as questões da prova.

Para funcionar eles necessitam da autorização do órgão normativo do sistema de ensino estadual, o Conselho Estadual de Educação. Como o conselho de Alagoas não concedeu licença a nenhum desses cursos, eles funcionam aqui com licença de Conselhos de estados vizinhos, principalmente Sergipe e Paraíba, e aí é que o esquema se exacerba. Quando chega o dia da prova levam os estudantes para o estado onde possuem autorização para fazerem a prova e onde também é emitido o certificado de conclusão do 2° grau. Não é que o Ministério da Educação autorize esses cursos funcionarem, é que a organização da educação brasileira não centraliza suas ações no ministério, sendo atribuição dos Conselhos Estaduais de Educação normatizar e fiscalizar seus sistemas de ensino.

Em um estado onde as taxas de analfabetismo são gritantes, onde é alarmante o numero de pessoas que não concluíram o segundo grau, e cada vez mais se faz necessário aumentar a escolaridade para se ter maior competitividade no mercado de trabalho, esses cursos veem nessa realidade não motivos para fortalecer e construir uma educação de qualidade, muito pelo contrario, enxergam um imenso campo de mercado em que podem faturar com as necessidades do povo.

O supletivo deve ser um instrumento para que aqueles que não concluíram o segundo grau, mas adquiriram conhecimentos gerais e possuem uma idade já avançada possam superar essa etapa e continuar sua formação. Não deve ser uma ferramenta para enriquecer ainda mais aqueles que fazem da educação uma mercadoria e não tem o menor comprometimento com a educação e com o desenvolvimento nacional.

Ensino Médio sem Identidade

Outro debate surge a partir dessa problemática. Esses cursos têm atraído um grande número de jovens entre 18 e 20 anos. Além da necessidade de entrar o quanto antes no mercado de trabalho, a falta de uma identidade do ensino médio afasta esses jovens das salas de aula, afinal ao invés de passar tanto tempo na escola sem perspectiva alguma, é bem mais fácil concluir rapidamente “o mesmo” ensino médio.

O ensino médio tem muitos problemas e grandes desafios. Está ainda atrofiado pelo vestibular, apesar dos recentes avanços com o Novo Enem, e distante dos anseios da maioria da juventude sem apresentá-la perspectivas para o seu desenvolvimento. Está na ordem do dia a construção da identidade do ensino médio pautada pela Educação para o Trabalho.

Estamos antes de tudo passando por um momento de grandes avanços na educação. As possibilidades que nos são apresentadas com a Conferência Nacional de Educação, além da necessária continuidade em 2010 de um projeto avançado de nação, não nos permitem retrocessos na transformação da educação, como representam esses cursinhos de três, dois, um e zero meses.
sexta-feira, 19 de março de 2010

Grêmio do IF-AL tem nova gestão

Nesta quarta feira, dia 17 de março, os estudantes do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Alagoas, IF-AL campus Maceió, elegeram a nova gestão do Grêmio Estudantil Edson Luís.
    As reivindicações por melhores condições de estudo, por recursos específicos para assistência estudantil e a missão de conscientizar os estudantes estimulando a sua participação no Movimento Estudantil foram as principais propostas da chapa eleita “Agora ou Nunca!”.
    O novo Presidente do Grêmio, o estudante João Carlos Cyrilo, vê como desafios para essa nova gestão “ser um Movimento inovador que, através de ações diversificadas, lute pelos direitos dos estudantes em sintonia com a sociedade e tenha como atrair mais estudantes para o Movimento Estudantil”. Afirma ainda que a grande diferença dessa gestão em relação às anteriores está “em ter em foco os estudantes, lutando pelos seus direitos básicos com uma atuação conseqüente e saindo do discurso para a pratica. Essa será uma gestão de ação!”.
    O Grêmio que recebe o nome do estudante Edson Luís, símbolo da luta contra a ditadura militar cujo assassinato completa 42 anos no dia 28 de março, não ficará de fora das principais lutas que envolvem o nosso país “queremos que o Movimento Estudantil seja mais participativo e ativo para que possamos conquistar grandes vitórias que levem a uma educação de qualidade, estando na ordem do dia a conquista de 50% do fundo social do pré-sal para a educação publica” afirma João Carlos.

Fonte: www.ubes.org.br

Voltando a ativa!

Depois de praticamente um ano com o blog parado decidi reativa-lo. Bom, quem já vinha acompanhando o blog sabe bem como ele funciona: aqui coloco desde idéias minhas a matérias e artigos que acho interessante.


Dessa vez quero ampliar ainda mais o blog, então para alem do debate político que é a marca do blog procurarei trazer também poemas e até musicas que eu gosto e acredito que vocês possam gostar. Mas o debate político promete ser intenso, afinal 2010 é ano de eleições e mais do que ser simples ano de eleições é ano de disputa de projetos, sejam eles nacionais, sejam eles locais.


Espero que o blog possa servir como um espaço de luta de idéias e ser mais uma trincheira de lutas na busca de uma sociedade mais justa e igualitária!

Busca

Receba por email

Perfil

Minha foto
Ex-diretor da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) e ex-presidente da União da Juventude Socialista (UJS) de Alagoas. Atual militante e presidente do Comitê Municipal de Maceió do Partido Comunista do Brasil, PCdoB.
Tecnologia do Blogger.

Seguidores