segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

PCdoB manifesta solidariedade ao povo palestino e condena Israel



O Secretariado Nacional do Partido Comunista do Brasil divulgou nesta segunda-feira (29) uma nota em solidariedade ao povo palestino em virtude dos recentes ataques terroristas de Israel.


"O Partido Comunista do Brasil manifesta o mais vivo repúdio à agressão criminosa e ao cerco israelense contra o povo palestino. Ao mesmo tempo, os comunistas brasileiros apelam pela imediata cessação dos bombardeios, a suspensão das hostilidades e do cerco na fronteira com a Faixa de Gaza e demanda à comunidade internacional a adoção de sanções contra Israel", diz o documento. Leia sua íntegra no site: http://www.vermelho.org.br/base.asp?texto=48917

O melhor presente


por Eduardo Bomfim*

Existem pessoas que torcem para que a extensão da crise econômica mundial atinja em cheio o Brasil. Nesse caso, a principal vítima será o povo brasileiro. Para alguns a atividade política é uma sucessão de ações maniqueístas onde o que importa é a derrota daqueles que se encontram no caminho dos seus objetivos.

É impossível que uma nação consiga alcançar um caminho de prosperidade e justiça social com semelhante filosofia, se é possível chamar isso de filosofia, de comportamento. Essa postura não é exclusividade dessa ou daquela corrente de pensamento, trata-se de poderoso vírus que atinge muitos agrupamentos de variadas feições ideológicas.

Tanto que se incorporou ao linguajar social a máxima de “quanto pior melhor”. Na verdade, para a grande maioria da sociedade e dos povos, quanto pior, horrível e quanto melhor, melhor.

Semelhante ponto de vista, demonstra que os que assim agem, são desprovidos de projetos para a nação, não possuem uma causa ou um ideário, mas exclusivamente interesses pessoais, mesquinhos mesmo. Buscam substituir as contradições entre concepções distintas para uma sociedade, por uma prática de conspirações intermináveis, onde o que importa é unicamente o sucesso pessoal e o resto que se lixe.

São aqueles que se acham os sabichões que todos nós encontramos pelas esquinas da vida. Às vezes conseguem obter dividendos profissionais durante um período. Mas terminam fazendo jus à máxima de Lincoln de que vários conseguem enganar a todos durante um bom tempo, mas não o tempo todo.

Pensam, com incrível mania de grandeza, que a humanidade é composta de ingênuos. Trata-se de um primarismo comportamental que acomete em grande escala o mundo da política, mas que se encontra presente em todas as atividades profissionais. É um maquiavelismo de terreno baldio, uma disfunção mais que ideológica, é também psicológica.

No fundo as pessoas possuem uma grande aversão a esse tipo de comportamento tanto que se tornou, negativamente, célebre a frase de um jogador de futebol, em uma propaganda de TV, “eu gosto de levar vantagem em tudo”.

As pessoas lúcidas não desejam que os norte-americanos, os brasileiros, os europeus, ou quem quer que seja, afundem na lama para que a aspiração de uma vida mais digna seja conquistada. O melhor presente aos povos para 2009 será a superação dessa crise pelo caminho da justiça.

Pré - Sal?

Por Lindinaldo Freitas (Naldo)

A maior descoberta recente do mundo vem despertando muitos debates e disputas, o que é natural afinal estamos falando de uma riqueza gigantesca, o Pré – Sal, como foi chamado trata-se de uma enorme reserva de petróleo com cerca de 800 km de extensão entre os estados do Espírito Santo e Santa Catarina, fica abaixo do leito do mar em uma profundidade de cerca de 7 mil metros estando abaixo de uma camada de sal, daí o nome.

A estimativa é de que o pré – sal coloque o Brasil entre os dez maiores produtores de petróleo do mundo, com uma reserva de mais de 100 bilhões de boe - barris de óleo equivalente – cabe lembrar que as reservas anteriores ao pré – sal estão na casa dos 14 bilhões de boe e que o Brasil é o vigésimo quarto maior produtor.

O pré – sal é descoberto em um momento de escassez de petróleo no mundo, elevará nosso PIB colocando o Brasil em um novo patamar de desenvolvimento econômico, mas devemos definir a quem servirá toda essa riqueza, se será para o capital privado ou para o povo brasileiro. O governo tem dado sinais de entendê-lo como elemento estratégico para o desenvolvimento da nação e que deve servir aos mais pobres como afirma o presidente Lula: "Esse patrimônio que está a 6.000 metros de profundidade é da União, de 190 milhões de brasileiros. Precisamos utilizá-lo para fazer reparação aos pobres deste país".

Apesar da intenção do governo, a garantia para que o pré – sal seja do povo brasileiro não será conquistada de mão beijada, a atual legislação acerca da exploração do petróleo – chamada de marco regulatório – Lei 9.478/97 acabou com o monopólio estatal e abriu a exploração de nossas jazidas para empresas privadas, esse caráter neoliberal da lei permite que multinacionais se apropriem de nossas riquezas.

Nesses mais de dez anos 72 grupos econômicos onde metade são multinacionais tem se apropriado de nosso petróleo e gás, foram leiloados 711 blocos petrolíferos e o governo não tem o menor controle sobre o destino dessas riquezas.

Não podemos permitir que nossas riquezas continuem sendo saqueadas, o petróleo é nosso e deve servir ao povo brasileiro, dessa forma é necessário um novo marco regulatório que garanta o controle do estado na exploração do petróleo e que este seja utilizado em beneficio do povo, através de investimentos na educação, na ciência, na saúde.

A FUP – Federação Única dos Petroleiros – em conjunto com a CUT – Central Única dos Trabalhadores – com a CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – e demais entidades através da CMS – Coordenação dos Movimentos Sociais – estão realizando uma grande batalha, trata-se de conseguir um milhão e 300 mil assinaturas para encaminhar ao congresso nacional um projeto de lei de iniciativa popular que garanta o monopólio estatal do setor petroleiro e o fim das concessões para exploração de nossas reservas.

O governo criou uma comissão interministerial para debater modelos em vigor em outros países e elaborar uma proposta de um novo marco regulatório. Esta nova legislação esta colocada como o eixo central de qualquer debate que vise o nosso desenvolvimento, porém há outro ponto que merece nossa atenção:
A política neoliberal do governo de FHC que impôs a abertura deste setor também vendeu a acionistas privados 62% das ações da Petrobras, onde 38% estão na mão do capital estrangeiro servindo para especulação na bolsa de Nova Iorque. Dessa forma o capital privado e em particular o estrangeiro se beneficia dos lucros da Petrobras deixando apenas 38% para o estado brasileiro.

Começa então a surgir defensores da criação de uma nova empresa estatal voltada especificamente para exploração do pré – sal, esta administraria os megacampos e contrataria empresas petrolíferas para fazer a exploração. Apesar dessa proposta ter uma boa aceitação dentro do governo é necessário aprofundar-se mais, de qualquer forma devemos junto com a bandeira de um novo marco regulatório reivindicar o fortalecimento da Petrobras enquanto uma empresa publica e que deve pertencer ao povo brasileiro e não ser usada como especulação por nenhum porco capitalista!


Tenha acesso a modelos do abaixo assinado para o projeto de lei de iniciativa popular e outras informações no site: www.presal.org.br

Busca

Receba por email

Perfil

Minha foto
Ex-diretor da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) e ex-presidente da União da Juventude Socialista (UJS) de Alagoas. Atual militante e presidente do Comitê Municipal de Maceió do Partido Comunista do Brasil, PCdoB.
Tecnologia do Blogger.

Seguidores